Skip to content

barbarabonvalot.com

16/08/2013

Agora estou aqui: barbarabonvalot.com

Até já🙂

a força

20/12/2012

Depois das últimas semanas a inventar soluções criativas para a vidinha, estou pronta.

Estou pronta para os desafios. Estou pronta para largar a corda. Estou pronta para me atirar para a boca do lobo… afinal a loba sou eu.

Saturno em ano de Marte é isto, tough love ready for action.

É fácil? Não, but who cares… the only way is up!

a verdade

02/10/2012

Não consigo publicar um post. Já comecei a escrever alguns dez posts esta tarde. Mas o que consigo pôr por escrito não chega. De tudo o que escrevo, poderia escrever o seu contrário. Nada do que fica nas palavras é suficiente ou suficientemente certo.

A Verdade é muito maior do que qualquer coisa que eu possa escrever, qualquer coisa que caiba em frases escritas ou palavras pensadas. Tudo, mas mesmo tudo, cabe na Verdade. Até a mentira cabe na Verdade…

Só há uma coisa que é maior que a Verdade e que tem a Verdade lá dentro…

O Amor.

os meus heróis

23/08/2012

Eu tenho a sorte e a alegria de conhecer pessoas fantásticas. Pessoas que trabalham para tornar os seus sonhos realidade e, ao fazê-lo, já estão a viver aquilo que sonham. Pessoas que acreditam que em qualquer momento podemos fazer uma escolha. Pessoas que conseguem ver o lado luminoso da vida, mesmo nos momentos de escuridão. Pessoas que decidiram ser adultas e chamaram a si a responsabilidade pela sua própria felicidade. Pessoas que são super-heróis – sim, com poderes e tudo! – e que usam as suas capacidades para ajudar quem está à sua volta. Pessoas lindas, de uma beleza que está à vista de todos, mas que não se pode ver nas revistas. Pessoas que dizem coisas maravilhosas simplesmente porque é o que sentem.

Eu tenho a sorte e a alegria de conhecer pessoas fantásticas, que fazem do mundo um lugar fantástico para todos vivermos. Agradeço-vos por existirem e por estarem na minha vida : )

o sonho impossível

17/07/2012

A vida é feita de ciclos. Tudo o que nasce inevitavelmente morrerá. Assim é com as pessoas, com as paixões e com as amizades, com os animais e com as plantas, com as montanhas e com os mares, até com as estrelas e com as galáxias.

Tudo, mas mesmo tudo, tem um fim.

Aceitar finais não é fácil para um Escorpião, especialmente se houver afectos e emoções envolvidos. E no entanto é essa a sua maior lição, a aceitação da morte. Porque um Escorpião sabe melhor que ninguém que uma morte é só o início de um nascimento. Deixar morrer algo que já se esgotou é simplesmente abrir espaço para alguma coisa nova e cheia de potencial.

Mas aceitar a morte não é simplesmente partir para outra, deixar para trás o que me é difícil e fugir para a frente. A morte não é um processo tranquilo. Envolve crise, drama e catarse. Luto. Ir ao fundo, ao lugar mais escuro do poço, onde está o lodo, e depois voltar. A morte é conhecer o avesso de nós mesmos, aquele lado escondido, que se alimenta da sombra, da obscuridade e do medo, e trazer esse lado assustador e todos os seus monstros medonhos para a Luz.

E é aqui que o ciclo se fecha, para dar início a um novo ciclo, a uma nova realidade. Uma realidade mais luminosa, mais cheia de vida, mais limpa e mais pura.

Uma realidade que antes me parecia um sonho impossível…!

o meu oceano

04/07/2012

O meu oceano é grande.

Tem o céu azul, tem tempestades violentas e também tem nevoeiros.

Quando o céu está azul a linha do horizonte é clara e definida.
Com as tempestades ganho músculo.
O nevoeiro ensina-me a acreditar.

O meu oceano é grande e cabe todo dentro de mim.

a luz do verão

20/06/2012

Esta noite, daqui a poucas horas, entra o Verão, a Luz mais brilhante do ano.

Ainda vamos querer ficar na zona de conforto e, de certa forma, isto vai-nos ser permitido até ao Outono – apesar de nos apercebermos que a zona de conforto já não é assim tão confortável, bem pelo contrário. Então esta claridade pede-nos para vermos mais além e olharmos para onde nos dirigimos, para aquilo em que acreditamos e para o que somos. Pede-nos para sairmos do território conhecido e alargarmos o horizonte de nós mesmos.

Quais são as minhas dependências? O que é que apoia a minha autonomia? Posso funcionar com os outros e ser independente? Posso ser autónomo sem ficar sózinho? Como posso ajudar os outros a serem também eles autónomos e independentes?

Este Verão traz-nos a lucidez de, ao olharmos para dentro, podermos ver o sentido maior do que se passa fora, à nossa volta. Traz-nos a clarividência de nos permitirmos acreditar que uma vida mais justa, mais solidária e mais equalitária é possível e que todos, mesmo todos, somos necessários para a construir : )

“Quem olha para fora, sonha. Quem olha para dentro, desperta.“ Carl Gustav Jung

%d bloggers like this: